autoinvestigação

levei um susto ao escrever minha idade, preenchendo um formulário de pesquisas. aquela era eu - despida. marcas sem qualquer retoque. nos últimos dois anos, a idade não foi destaque. estava presa a dores, ainda estou, que doem na alma. 

a minha idade, acaba de fazer doer minha alma. sensação de que não há mais tempo. impressão de sonhos pausados em definitivo. estou ficando velha, embora as amigas digam que não. o espelho expõe meus traços. 

buscar o equilíbrio entre o "tempo passado" e o "tempo amadurecido" é a minha mais recente autoinvestigação.            

e tá tudo bem se eu chorar por três dias seguidos. quero ficar um tempo sozinha. não estou querendo chamar atenção. nem é birra de criança. dar conta de tudo não é perfil meu. não quero esse título. estou dentro de mim. defeitos e medos me assustam. vai passar. eu só preciso de tempo. um pouco de coragem. um punhado de fé. o gosto salgado das lágrimas. ruim é quando a gente não escolhe qual saudade vai chegar. vou seguir. talvez sem tanta pressa. a vida não deve ser uma competição de quem chega primeiro. só quero paz. quero também amor. muita saúde. me reencontrar. hoje vou ficar em silêncio. amanhã quem sabe eu dou um sorriso.

unha encravada

Hoje me sinto como uma unha encravada. Aquele pedaço de unha preso na carne do qual queremos nos livrar apressadamente. Sim, hoje me sinto como um pedaço de unha que foi cortado com pressa e sem jeito. Foi notável o conforto sentido por quem arrancou aquilo que parecia ser causa de toda dor. Hoje me sinto essa lasca, pedaço que incomoda, fonte de toda dor. Fica a impressão de que bastou remover-me para os passos se alinharem. É extremamente assustador me sentir como um pedaço de unha que foi arrancado – aterrorizante na verdade – mas não fui capaz de pensar em mais nada para além disso.

Joaninha elegante

Quase imperceptível a joaninha passou correndo – como quem tem pressa – não deu tempo interrogá-la para saber seu destino. Precisei me aproximar bastante para ver suas “bolinhas” – estava muito elegante – traje sofisticado. Me ensinou, “dona Joaninha”: apresse o passo sempre que necessário, mas não esqueça a elegância.

* imagem arquivo pessoal, 2021.