dos estudos sobre autoconhecimento

[…] autorretrato: fragmentos de uma busca de si e da sua projeção, colocando em
cena um sujeito que embora ainda não se reconheça sempre como tal, age sobre situações, reage a outras, ou, ainda, deixa-se levar pelas circunstâncias.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação.2ed.rev e ampl. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010. p. 91

Estudos iniciados

DEL PRIORE, Mary. Sobreviventes e guerreiras: uma breve história das mulheres no Brasil: 1500-2000 – São Paulo: Planeta, 2020.

Resistir, manter acesa a chama efêmera da existência, aguentar, sobreviver. “Resistir”, cuja etimologia vem de stare e que significa ficar de pé. Resistimos como respiramos, por exemplo. Resistimos para sobreviver e também para defender nosso valores, sem os quais a vida não tem sentido. O bom é que, ao longo dos tempos, a matéria da qual somos feitas, ou seja, nossa cultura mestiça, resiste cada vez mais e melhor às pressões. E, longe de esconder os conflitos, nós os levamos para a praça pública a fim de encontrar soluções para a violência e para a desigualdade, soluções em que o grito seja substituído pelo diálogo e a concorrência, pela colaboração.

Clube de leitura

Estou fazendo parte de um clube de leitura, a ideia proposta era reler algum livro.

Escolhi o livro de Poemas, de Florbela Espanca.

Cheguei a seguinte conclusão:

É impressionante a diferença de entendimento que temos com leituras realizadas em tempos distintos.

Além da maturidade, que adquirimos com o tempo, o momento presente também contribui para ressignificar nossas leituras.

Chego a arriscar que sempre daremos “peso” às nossas leituras de acordo com o momento vivido.

Reler alguns poemas de Florbela, me trouxe memórias que estavam escondidas. Acho que só agora consegui entender melhor Florbela, no momento certo.