poesia vulnerável

Parada de descompressão;
Hiato inevitável;
(Re)definir limites;
Honrar seu tempo;
Sentar quando o corpo cansa;
Coragem é acolher os medos;
Não é sobre estar no fundo;
É sobre como subir à superfície;
Ser vulnerável;
Primeiro degrau;
Faço poesia.

*imagem arquivo pessoal,2021.

e tá tudo bem se eu chorar por três dias seguidos. quero ficar um tempo sozinha. não estou querendo chamar atenção. nem é birra de criança. dar conta de tudo não é perfil meu. não quero esse título. estou dentro de mim. defeitos e medos me assustam. vai passar. eu só preciso de tempo. um pouco de coragem. um punhado de fé. o gosto salgado das lágrimas. ruim é quando a gente não escolhe qual saudade vai chegar. vou seguir. talvez sem tanta pressa. a vida não deve ser uma competição de quem chega primeiro. só quero paz. quero também amor. muita saúde. me reencontrar. hoje vou ficar em silêncio. amanhã quem sabe eu dou um sorriso.

ah, instagram…

“Capacidade, coragem, discernimento, clareza e responsabilidade afetiva”… Foram algumas das palavras que escutei num vídeo, enquanto rolava o feed do instragram hoje mais cedo. Lembrei do que escrevi meses atrás, não postei mas ficou salvo no rascunho. Naquele momento não consegui organizar as palavras e nem os sentimentos aqui dentro. Não me recordo quantas vezes, só hoje, já assisti ao vídeo. Acabo de abrir o rascunho do meu texto, deu uma paz quando reli o que escrevi, sensação de ter sido fiel aos meus sentimentos. Você deixou para mim a responsabilidade de por um fim, você implorava nas entrelinhas para que eu tomasse essa decisão, por que é difícil né? Tem que ter muita coragem, coragem… A vida é mesmo surpreendente.

Quer assistir o vídeo? Clica aqui o título é “Pessoas que precisam que você tome a atitude que elas não tomam.