Imagem

uma borboleta azul e vermelha

Ela pousou em mim. Não notei quando ela se acomodou delicadamente na minha blusa. Minha amiga que estava próxima percebeu quando a borboleta pousou em mim. Sorrindo ela disse: “pousou do lado do coração”. Eu segurava uma xícara de chá e falava a sobre os desafios que a vida nos apresenta. Voou.

Tenho uma borboleta tatuada no meu braço. Amo borboletas. Observamos que borboleta havia pousado num carro. Minha amiga se aproximou, aumentou o zoom do celular e fotografou. Cheguei mais perto também. Tive a impressão de que a borboleta esfregava uma asa na outra, esse movimento revelou rapidamente a cor das suas asas. Vermelha e azul – azul brilhante. Não deu tempo fazer registro. Eu vi e minha amiga também. Com os olhos marejados falei: “nunca tinha visto uma borboleta azul de perto”. A borboleta voou pelo céu azul ensolarado. Desapareceu.

Sabe aquele sinal que você pede? Ele pode chegar em forma de borboleta.

sinal do Universo (06/08/2021)
Nota

Maturidade

Como eu gosto de conversar com você. Numa das nossas conversas falei: “quando estamos na escola sentimos que há conteúdo demais para aprender, é muita informação para assimilar”. Você concordou: “para aquela idade, era mesmo” e continuou: “não tem como entender certas coisas naquela idade, só depois que vem a maturidade mesmo”. Concordei com suas afirmações. Nunca havia considerado o aprendizado na escola por esse viés. E é exatamente assim na vida, tomamos decisões e agimos de acordo com o que temos no momento. O meio, a idade, o momento político, a Lua, o clima… tudo é instante. A maturidade só vem com o tempo vivido – todos os instantes – a nós, cabe seguir aprendendo e se orgulhar por todos os instantes que fizeram com que chegássemos até aqui.

Nota

Mergulho


Como faço para reparar erros que cometi no passado? Hoje, mais madura, consigo identificar todas às vezes que falhei.

Não, não pense que isso me faz paralisar, agora tenho consciência dos muros que construí e aceito com gratidão a mulher que fui e sou.

Admito que poderia e deveria ter feito diferente, mas fui seguindo regras escritas, para não dizer impostas, por uma sociedade conservadora e machista. Sempre ouvi a frase: “seja uma boa moça e aguarde”, ingênua eu esperei.

Faz pouco tempo que venho me (re)descobrindo, experimentando uma força que por tantas vezes renunciei por acreditar que não possuía.

Percebo que dar um salto para dentro de si mesmo é um ato de coragem, a gente corre o risco de se machucar muito. Queda livre com frio na barriga. Quem nos aguarda lá embaixo, para amortecer o impacto da queda é nossa criança interior. Abraçadas choramos.

Peço perdão para a menina que fui e agradeço pela mulher que sou. Estou em paz mas sei que esse encontro é um dos muitos veus que precisam ser tirados e ressignificados.

uma chance

“Uma chance”, foi o que você pediu olhando nos meus olhos, depois de alguns meses em silêncio total. A lista de perguntas para te fazer, que anotei no meu caderno, não tirei da bolsa, e como quem advinha o futuro, você respondeu todas elas. Confesso que meu coração disparou e minhas mãos estavam geladas.

Hoje, consigo compreender que este tempo de “silêncio” foi importante para nosso crescimento. Ainda temos muito o que aprender, viver é aprender o tempo todo. Sinto que estamos voltando para nosso caminho, o meu caminho, o seu caminho.

Quando nossas mãos se encaixaram novamente, percebi que o carinho que você fazia com o polegar, enquanto segurava a minha mão, não foi esquecido. Sensação boa de cuidado. Os pequenos gestos são tão importantes.

“Uma chance”, eu disse olhando nos seus olhos, que nossa história merecia.