Nota

borboleta

imagem domínio público

Uma pequena borboleta. Sempre gostei de borboletas, são criaturas belas. Tenho a impressão de que não fazem esforço para voar – o vento é o guia. Penso na vida e a comparo com uma borboleta em processo de metamorfose. Borboletas passam por uma metamorfose completa até ganhar asas.

O que é a vida senão uma eterna metamorfose de uma borboleta? Assim como as borboletas passam por transformações em sua forma e na estrutura do seu corpo, nós seres humanos, também mudamos ao longo do tempo.

Olhando para esta fotografia me vejo borboleta. Não faço ideia por quantas metamorfoses passei ao longo de todos esses anos, alguns processos mais doloridos que outros, mas necessários.

Aniversário sempre é um rito de passagem – uma celebração que tem um significado maior. No dia de hoje me permito ser lagarta, dou início a mais um processo de metamorfose – um tanto doído confesso –, enquanto espero o momento de ganhar minhas asas.

Há uma borboleta pousada no meu braço, na verdade ela mora nele agora, que me faz lembrar todos os dias que: tudo passa.  

Ontem

A notificação da agenda piscou na tela do celular logo cedo, mostrava seu apelido ao lado de um coração vermelho, seu aniversário. Não precisava de alerta para lembra, mas gostava da sensação de ver seu nome piscando no meu celular. Aconteceu tudo tão rápido que esquecei de desativar o alarme, ver seu nome entre as notificações passou a me machucar. Decidi te escrever bem mais do que “feliz aniversário”, desejei sonhos realizados e agradeci pelo tempo compartilhado comigo. Sua notificação piscou horas depois, me chamou pelo meu nome e agradeceu. Sensação estranha.