na madrugada

Me derramei na madrugada. Tudo que estava contido se rompeu com uma força imensa, a água salgada ocupou todos espaços vazios. Me abracei e encolhi. Choro de dor. Enquanto procurava entender a tempestade que chegou sem aviso, implorei para o Universo enviar um sinal. Dormi depois de tomar o remédio. Apaguei. Acordei querendo colo, desejei que alguém me acolhesse e dissesse que vai ficar tudo bem. Consegui conter a represa, só não sei até quando. Ser forte o tempo todo cansa.