Nota

borboleta

imagem domínio público

Uma pequena borboleta. Sempre gostei de borboletas, são criaturas belas. Tenho a impressão de que não fazem esforço para voar – o vento é o guia. Penso na vida e a comparo com uma borboleta em processo de metamorfose. Borboletas passam por uma metamorfose completa até ganhar asas.

O que é a vida senão uma eterna metamorfose de uma borboleta? Assim como as borboletas passam por transformações em sua forma e na estrutura do seu corpo, nós seres humanos, também mudamos ao longo do tempo.

Olhando para esta fotografia me vejo borboleta. Não faço ideia por quantas metamorfoses passei ao longo de todos esses anos, alguns processos mais doloridos que outros, mas necessários.

Aniversário sempre é um rito de passagem – uma celebração que tem um significado maior. No dia de hoje me permito ser lagarta, dou início a mais um processo de metamorfose – um tanto doído confesso –, enquanto espero o momento de ganhar minhas asas.

Há uma borboleta pousada no meu braço, na verdade ela mora nele agora, que me faz lembrar todos os dias que: tudo passa.  

na madrugada

Me derramei na madrugada. Tudo que estava contido se rompeu com uma força imensa, a água salgada ocupou todos espaços vazios. Me abracei e encolhi. Choro de dor. Enquanto procurava entender a tempestade que chegou sem aviso, implorei para o Universo enviar um sinal. Dormi depois de tomar o remédio. Apaguei. Acordei querendo colo, desejei que alguém me acolhesse e dissesse que vai ficar tudo bem. Consegui conter a represa, só não sei até quando. Ser forte o tempo todo cansa.

Eu era a Olívia Palito

Durante muito tempo, na época da escola, fui chamada de Olívia Palito. Sempre fui magra e ser assim me incomodava muito. Tentei dietas malucas para engordar e cheguei a tomar remédio, não tive sucesso. Me escondia em roupas largas. Era difícil me enxergar bonita, eu era a Olívia Palito, a magra desengonçada. Quando escuto: – você é linda! Primeiro vejo a “Palito” e depois me vejo. Ainda tenho dificuldade em aceitar elogios, não que eu não acredite neles, mas preciso de um tempo maior para meu cérebro converter o elogio em aceitação.

Nota

Mergulho


Como faço para reparar erros que cometi no passado? Hoje, mais madura, consigo identificar todas às vezes que falhei.

Não, não pense que isso me faz paralisar, agora tenho consciência dos muros que construí e aceito com gratidão a mulher que fui e sou.

Admito que poderia e deveria ter feito diferente, mas fui seguindo regras escritas, para não dizer impostas, por uma sociedade conservadora e machista. Sempre ouvi a frase: “seja uma boa moça e aguarde”, ingênua eu esperei.

Faz pouco tempo que venho me (re)descobrindo, experimentando uma força que por tantas vezes renunciei por acreditar que não possuía.

Percebo que dar um salto para dentro de si mesmo é um ato de coragem, a gente corre o risco de se machucar muito. Queda livre com frio na barriga. Quem nos aguarda lá embaixo, para amortecer o impacto da queda é nossa criança interior. Abraçadas choramos.

Peço perdão para a menina que fui e agradeço pela mulher que sou. Estou em paz mas sei que esse encontro é um dos muitos veus que precisam ser tirados e ressignificados.

Status

Só por hoje – Legião Urbana

eu figurinha

Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu espero conseguir
Aceitar o que passou e o que virá
Só por hoje vou me lembrar que sou feliz

Hoje eu já sei que sou tudo o que preciso ser
Não preciso me desculpar e nem te convencer
O mundo é radical
Não sei onde estou indo
Só sei que não estou perdido
Aprendi a viver um dia de cada vez

Só por hoje eu não vou me machucar
Só por hoje eu não quero me esquecer
Que há algumas pouco vinte quatro horas
Quase joguei a minha vida inteira fora

Não não não não
Viver é uma dádiva fatal
No fim das contas ninguém sai vivo daqui mas
Vamos com calma

Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu não vou me destruir
Posso até ficar triste se eu quiser
É só por hoje, ao menos isso eu aprendi

Compositores: Eduardo Dutra Villa Lobos / Renato Manfredini Junior