limite

Parece que o toque passou a ser dolorido. Carinho é limite que não pode ser ultrapassado. Entre nós há muros.

Existe uma parede invisível entre nós que tem sido difícil ultrapassar. Talvez inconscientemente tenhamos construído esse limite. Nosso carinho, aquele de dedo, parece espinho e por receio de nos machucarmos evitamos o toque.

Não saber se posso te tocar é doído. Jamais imaginei pedir licença para poder segurar sua mão. Leio por aí que não se deve pedir carinho e que afeto não deve ser aceito em migalhas.

Busco entre livros, explicações científicas que me façam compreender essa dinâmica sem julgamentos. Tenho vivido a espiritualidade profundamente entre meditações, rezas, mantras e orações.

Meu desejo é estar consciente para assumir uma decisão assertiva e não olhar para trás, pois, é pesado demais carregar mágoas e rejeições por uma vida inteira.

crédito da imagem clique

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s