Nota

expor

estou expondo minhas dores. um lado escuro.

corpo cansado pesa sobre os pés.

renasço todos os dias. sem energia.

faço silêncio.

durante o dia engulo o choro. nas madrugadas me derramo.

duvido da minha fé. esqueço orações.

no modo automático caminho.

sem drama. é dor.

sinto.

tudo.

Nota

Dos livros que li

[ WOOLF, Virgínia. Um teto todo seu. Trad. Vera Ribeiro; prefácio Ana Maria Machado – 2. ed. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2019. p.92 ]

janela

A mente é decerto um órgão muito misterioso, refleti, afastando minha cabeça da janela, sobre o qual não se sabe absolutamente nada, embora dependamos dele tão completamente. Por que sinto que há cisões e oposições na mente, tal como há tensões vindas de causas óbvias no corpo? O que se pretende dizer com “unidade da mente”?, ponderei, pois é claro que a mente tem um poder de concentração tão grande em qualquer ponto e a qualquer momento que parece não ter nenhum estado único de ser. Ela pode isolar-se das pessoas na rua, por exemplo, e pensar em si mesma como apartada delas, numa janela superior, olhando-as lá embaixo. Ou pode pensar espontaneamente com as outras pessoas, como, por exemplo, numa multidão esperando para ouvir a leitura de alguma notícia.

imagem arquivo pessoal, 2021

Status

distante de mim

Passos dias distante de mim. Saudade que invade de súbito. “Por que comigo” martela na minha cabeça sem pausa. Um coro insistente no meu ouvido diz: “ele não te quis”. Fui me diminuindo. Encolhi até me caber na palma da mão. Que lugar é esse que sempre volto? Me encaro no espelho, não há brilho. Caí mais uma vez. Estou no poço escuro, não faço ideia de como deixar de voltar para lá toda vez que tropeço.

Na netflix

O Alienista, série da netflix, é bem perturbadora. Há uma frase, não sei em qual episódio, que me chamou atenção: “aqueles que estão dançando são apenas loucos para aqueles que não escutam a música”. Atribuem essa frase a Friedrich Nietzsche, filósofo, se é verdade não posso atestar. O que eu sei é que às vezes sou aquela que dança e às vezes sou aquela que não escuta a música. Assim sigo.

Status

[esperamos]

Hoje, aguardamos ansiosas e ansiosos por uma notificação na tela do celular. Nos obrigaram a permanecer off-line. Tudo parou de repente. Sem aviso prévio. Talvez vocês, assim como eu, pensou ter consumido o pacote de dados antes do prazo, além de reiniciar o celular, acreditando que tudo seria resolvido, não resolveu.

A câmera funcionava. Fotografei o instante da espera. Milésimo de segundo congelado no tempo. Pausei a existência de ser. Me recuso a sucumbir. Sou esta fotografia, a mulher entre o azul, amarelo e vermelho.

“Fotografar, é colocar na mesma linha, a cabeça, o olho e o coração” (Henri Cartier-Bresson).

imagem arquivo pessoal, 2021